Serra da Moeda - MG

O Blog

O objetivo do Blog é simplesmente escrever, não estou almejando ser lida, nem seguida, nem acessada várias vezes. Simplesmente quero escrever. E que todos que passarem por aqui levem sempre uma "coisinha" boa, uma idéia, uma dica, uma frase, uma imagem, ou uma palavra apenas...

Gostaria de lembrar que um blog é uma opinião pessoal, um ponto de vista. Sei que nem sempre agradarei a todos, mas com certeza, a intenção sempre será a melhor possível!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal com gosto de Mãezita

Acho que todo mundo conhece a expressão: “gosto de infância”. Usamos geralmente quando comemos algo que nos lembra nossa infância, e nesse Natal eu poderia usá-la tranquilamente, pois caberia. Mas na verdade, a expressão que melhor se encaixaria é: “gosto de Mãezita”, porque o meu Natal teve “gosto de Mãezita”!

Deixe-me explicar, Mãezita era minha avó materna, minha segunda mãe e, se tem uma data, que é a cara dela, é o Natal. Ela adorava o Natal, sempre assistíamos à missa, ceiávamos e trocávamos presentes. Mas o que fazia sucesso mesmo era sua mesa de doces do dia 25 de dezembro. Esse era o presente dela para a família toda. Ela fazia uma mesa só de doces: doce de cidra, de figo, de laranja, de mamão, arroz doce, pão dourado, joão-pronto, pudim de pão, rabanadas... o mais tradicional de todos: o canudinho de doce de leite

Gostaria de dividir algumas informações com vocês, minha avó teve nove filhos e somos 36 netos (e ainda criou mais três sobrinhos, que também casaram, e tiveram filhos), muitos bisnetos, agregados, mais família, amigos, vizinhos... Imaginaram a quantidade de doces?!?!? Resumindo, a mesa era "a verdadeira perdição". 




Se toda família tem uma tradição, a da família Cardoso deveria ser a dos canudinhos. Esperávamos o ano inteiro pela noite dos canudinhos (geralmente dia 23). Ela e minha mãe sempre faziam os canudos a noite, assim, nós, crianças, estaríamos dormindo e não pentelhando na cozinha. Quando acordávamos de manhã a casa estava tomada pelo aroma dos canudos que já estavam fritos, dourados como o sol, prontos para receber o doce de leite e o acabamento com açúcar refinado e canela.

Como geralmente as perdas geram algum trauma, o falecimento da minha amada avó gerou a Síndrome do Natal em minha família. Por mais que nos reuníssemos na data, ninguém se habilitava a puxar a responsabilidade da mesa de doces para si (tinham doces (minhas primas faziam), pavês, tortas, mousses, mas não eram como os da Mãezita). 

E assim, as “formiguinhas” da família ficaram órfãs. Não existem os “sem-terra”? Na minha família existiam os “sem-doces”, digo existiam, porque nesse ano minha super-mãe superou o trauma e fez novamente uma mesa de doces. E para minha felicidade incluía os meus doces prediletos, o pão-dourado (que ela nunca tinha feito sozinha) e os canudinhos, especialidades da Mãezita, huuummmm!!!


E é em horas como essa que você percebe o valor de pequenos gestos e o quanto eles significam para você. Sendo assim, esse pequeno texto é um agradecimento para minha mãe. A mesa não teve a quantidade de doces da mesa da minha avó, mas foi muito melhor, porque o Natal teve de novo “gosto de Mãezita”!!!
Mãe, obrigada! Amo você!
Bjim!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Canela e Gramado - 6º Dia

Como era nosso último dia de viagem não tivemos pressa para acordar, aproveitamos bem o restinho da pousada, o café da manhã, a atenção do pessoal, fizemos as malas, tiramos mais fotos e colocamos o pé na estrada.


Paramos no centro de Canela para fotografarmos a Catedral de Nossa Senhora de Lourdes ou Catedral de Pedra, como é mais conhecida. Construída em estilo gótico inglês, possui uma torre de 65 metros de altura e um carrilhão de doze sinos de bronze. Os vitrais da Catedral representam a ladainha de Nossa Senhora.


Praça da Matriz, 69 – centro – fone: (54) 3282 1132 – cep: 95680-000 - Canela – Rio Grande do Sul

Aproveitamos que estávamos na praça e entramos na loja mãos do mundo, a loja é ótima, compramos algumas coisinhas (pequenas, pois as malas já estavam cheias).



Na estrada entre Canela e Gramado, paramos em alguns lugares para batermos fotos. Um deles foi o Mundo a Vapor, que é um lugar, que encanta adultos e crianças de todas as idades. Há miniaturas de industrias, trens, tratores, além de outras atrações, (todas a vapor).


Onde: RS 235 - Rod. Gramado/Canela – Canela – Rio Grande do Sul
Tel: 54 3282.1125

Almoçamos no Bouquet Garni, mais um dos restaurantes que entraram para o meu Top 3 dos restaurantes da viagem.


O restaurante fica no lago Joaquina Rita Bier, um ponto turístico de Gramado.

Em agosto, quando acontece o Festival de Cinema de Gramado, os filmes exibidos a noite são reprisados em um espaço montado para esse fim no lago e no fim do ano, durante o Natal Luz, é cenário da realização do espetáculo “Nativitaten”.


Lago Joaquina Rita Bier
Endereço: Rua Leopoldo Rosenfeldt
Horário de funcionamento: Livre
Localização: Próximo a Avenida das Hortênsias, a Rótula das Bandeiras e ao Parque Mini Mundo.
Acesso: Livre


Como nosso vôo era somente a noite, voltamos para o centro de Gramado para darmos mais umas voltinhas e comprar uns chocolates, pois como não fomos a nenhuma fábrica de chocolate, ainda não tínhamos comprado nenhum (foi duro resistir).



Fotografei a Matriz de São Pedro e os doze Apóstolos que enfeitam o pátio da igreja.


A igreja é construída em pedra basáltica e sua torre tem 46 metros.




Seus vitrais sacros mostram passagens da vida do Apóstolo Pedro ao lado de Cristo.



Ao lado da igreja fica o Palácio dos Festivais - Cine Embaixador, onde são exibidos os filmes do Festival de Cinema de Gramado, ele estava em reforma, nem deu pra tirar uma fotinha, mas em frente ao teatro, fica a nossa Calçada da Fama, e dela deu pra bater algumas fotos. Abaixo as assinaturas do Selton Melo e Antonio Fagundes.



Há muitos mais passeios e lugares pra se conhecer na Serra Gaúcha, mas tentamos não repetir os que já conhecíamos e alguns ficarão para uma próxima viagem, mas se for a primeira vez que você vem a Canela e Gramado, não deixe de visitar as atrações abaixo.

Lago Negro

O lago recebeu esse nome porque as árvores plantadas às suas margens foram importadas da Floresta Negra, na Alemanha. A maior atração do lago são os pedalinhos em forma de cisnes.
O Lago Negro fica em frente a Associação Cultural de Gramado e a Alameda do Artesanato.A entrada é gratuita, mas os passeios de pedalinho são cobrados.
Tel: 54 9975-7444 (Carlos)


Aldeia do Papai Noel
Ela agora fica montada durante o ano todo e há muitas atrações, um passeio ótimo para as crianças
Rua Bela Vista, 353 - Centro - Gramado - RS
Tel: 54 3286-7332
http://www.papainoel.com/

Rótula das Bandeiras

Uma homenagem simbólica aos estados brasileiros. O destaque da praça é a réplica do Kikito, o cobiçado troféu entregue aos vencedores do Festival de Cinema de Gramado.
Praça Leopoldo Rosenfeldt, Avenida das Hortênsias, próximo ao lago Joaquina Rita Bier.

Mini Mundo

Minaturas de obras arquitetônicas.
Onde: Horácio Cardoso, 291 – Gramado – RS
Tel: 54 3286-4055
O Parque fica aberto das 10h até às 17h, todos os dias.

E claro, alguma fábrica de chocolate.

Termino o post com a frase de um dos pórticos de Gramado: "Leve nos olhos a imagem colorida de Gramado" e Canela!

Bjim!!!


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Canela e Gramado - 5º Dia

Como não conseguimos fazer o Parque do Caracol no dia anterior, acordamos cedo e seguimos para lá. Pretendíamos fazer o Parque do Caracol, e o teleférico, que fica um pouco depois do parque e te dá uma visão frontal da Cachoeira do Caracol.


A principal atração do parque é a Cachoeira do Caracol, com uma queda livre de 131m, mas há muitas trilhas para fazer, um Centro Histórico Ambiental, um elevador panorâmico e a Estação Sonho Vivo, além da feirinha de artesanato bem no estacionamento do parque.


Há um mirante de onde você pode observar a cascata, mas se você é um esportista, ou se considera apto às práticas esportistas esporádicas, pode descer a escada que leva onde a cachoeira deságua. Como eu ainda estava com minha panturrilha doendo das trilhas do Vale da Ferradura, declinei a descida na hora (já tinha ido da primeira vez que vim a Canela), mas o Vi animou e desceu.


Dê uma olhadinha na placa avisando dos 730 degraus (equivalente a um prédio de 44 andares). "Não recomendado para cardíacos, asmáticos, hipertensos, diabéticos, sedentários".


Eu me encaixo nos sedentários (ainda bem que não fui). Quando o Vi voltou, ficou uns 5 minutos sem conversar comigo, recobrando o fôlego. Fiquei feliz demais de não ter ido!


Depois de todo esse esforço nem quisemos subir no elevador panorâmico, tomamos alguns Gatorades e fomos para o teleférico. Cehgando lá: Surpresa!!!! Ele estava fechado para manutenção e sem previsão para reabrir. Mais coisa pra fazer em uma próxima viagem.


Parque do Caracol
Onde: RS 466, Km 0 – Canela – RS
Tel: 54 3278-3035
Entrada: R$ 10,00

Já que não fomos ao teleférico, pegamos o caminho de volta e paramos no Castelinho Caracol, uma das primeiras residências de Canela, construída em madeira araucária, o primeiro andar é todo feito em encaixe, não utilizaram pregos. É um lego de verdade... Rsrsrs...



A casa é um museu com móveis e utensílios deixados pela família Franzen, que nos levam ao passado, lá você pode tomar um chá e se deliciar com o melhor apfelstrudel da Serra Gaúcha!

Onde: RS 466 km 04 - Estrada do Caracol km 04 – Caracol – Canela – RS
Tel: 54 3278-3208
Formas de pagamento:
Dinheiro e ou cheque
Ingresso para adulto: 6,00
Ingresso para idoso: 3,00

Infelizmente não comi o apfelstrudel, pois já era hora do almoço e queríamos almoçar em um restaurante alemão que fica em Canela, o Strudelhaus.


Quando entramos no restaurante foi como se entrássemos em restaurante lá na Alemanha, a decoração, as coisas no teto, os quadros, tudo nos lembrou a Alemanha. Essa dica também foi dos Destemperados, com um grande reforço do pessoal da pousada em que estávamos.


O almoço foi ótimo, e o Strudelhaus entrou no Top 3 dos restaurantes da viagem. Aqui seguimos, inclusive, as dicas de pratos que os Destemperados deram e foi uma excelente pedida e de sobremesa, um apfelstrudel.

Strudel Haus
Onde: Rua Baden Powell, 246 – Centro – Canela – RS
Tel: 54 3282.9562
Não aceita cartões de crédito

Nosso dia estava repleto de coisas pra fazer e não dava nem pra curtir aquela preguicinha de depois do almoço, ainda faltava o Alpen Park, um alambique e o jantar a noite.


O público alvo do Alpen Park é adolescente, o parque tem tirolesas, arvorismo, cinema 4D, rapel, parede de escalada, quadriciclo e uma pista de 950 metros, especialmente construída para o passeio de trenó. Detalhe, é você quem controla a velocidade do trenó (o passeio pode ser com ou sem emoção).




Fizemos as tirolesas (achei bem tranquilo) e o trenó (fui com emoção e achei bem legal). O parque tem 60.000m² de área verde, tem um mirante com uma vista privilegiada para os morros Pelado, Queimado e dedão.


A entrada no parque é gratuita e você paga o ingresso das atrações em que for brincar.

Onde: Rodovia Arnaldo Oppitz, 901 – Canela – RS
Tel: 54 3282-9752

Continuando o caminho do parque, decidimos visitar um alambique, o Flor do Vale. Só mineiro mesmo pra na terra do vinho, ir procurar cachaça, rsrs...


O alambique é bem moderno, mas a produção é artesanal e como nas vinícolas, também tem visita guiada e degustação.

Inclusive, um pouco antes de chegarmos ao alambique, passamos por mais uma vinícola, a Jolimont, mas como tínhamos ido ao Vale dos Vinhedos, preferimos não entrar. Mas fica a dica, se estiver em Canela ou Gramado e quiser visitar uma vinícola sem precisar ir a Bento Gonçalves, há a Jolimont.


Claro que degustamos algumas cachaças, particularmente gostei da Premium, envelhecida na Grápia, não entendo nada de cachaça, mas gostei dessa. A madeira da Grápia é muito usada aqui no sul nos barris de vinho.


Onde: Estrada Morro Calçado, 2830 – Linha São João – Canela – RS
Tel: 54 3282-6954
Horário de visitação e empório
De terça a domingo, das 9h às 17h.

Depois desse dia atribulado, voltamos para a pousada, precisávamos descansar um pouco antes de irmos jantar.

Chegamos em Gramado um pouco antes do horário do jantar e fomos procurar um loja de essências aromatizadas que o Vi queria conhecer, a Per Fumum Bue, uma franquia argentina, mas não a encontramos e decidimos sentar para tomar um café e um chocolate.


Escolhemos o Josephina Café, dica dos Destemperados e da VT. O lugar tem uma proposta diferente, eles servem do café da manhã ao jantar, sem interrupções. Isso é ótimo, pois em Gramado, os restaurantes fecham após o almoço e só reabrem a noite, para o jantar.

Onde: Rua Pedro Benetti, 22 – Centro – Gramado – RS
Tel: 54 3286-9778
Não abre segunda-feira

Nosso jantar foi no La Famille de Gazon, como seria nossa última noite na Serra Gaúcha, quis repetir uma sequência de fondue...

Onde:Avenida das hortensias, 1008 – Gramado – RS
Tel: 543286-3981

Bjim!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Canela e Gramado - 4º Dia

Colocamos o relógio para despertar bem cedo, pois o combinado era irmos a Bento Gonçalves. Quando abri a janela parecia que estávamos dentro de uma nuvem, não enxergávamos nada a uma certa distância, mas planejamento é planejamento. Levantamos, seguimos nossa rotina e colocamos o pé na estrada.


A intenção, no início, era fazermos o passeio de Maria Fumaça até Garibaldi, mas como não havia mais lugares, o jeito foi desistir e fazer todo o passeio de carro mesmo. 


O pórtico de Bento Gonçalves é uma pipa e a cidade é conhecida como a "Bordeaux brasileira", pois é pólo produtor de vinhos. Os amantes dos vinhos devem ficar desorientados por aqui, há vinícolas por todos os lados.


Fomos até o centro de Bento Gonçalves conhecer a Maria Fumaça e aproveitamos para ir à lojinha da vinícola Aurora (quase ao lado da estação). Dentro da loja há uma fonte que jorra vinho.


De lá seguimos para o Vale dos Vinhedos, pegamos o mapa na entrada de Bento Gonçalves, (perto do pórtico há uma casinha de informações turísticas). Preciso confessar que vinho não é o nosso forte (meu e do Vi), então, não demorávamos muito nos lugares e nem nas lojinhas das vinícolas.


Quando comentamos com o dono da pousada que queríamos ir a Bento, ele nos disse que seria interessante conhecermos uma vinícola grande e uma pequena. Seguindo a dica dele resolvemos que iríamos na Miolo e na Casa Valduga e em alguma outra pequena (sugestões - de quem entende de vinho - Lidio Carraro e Don Laurindo).




Compramos alguns vinhos e espumantes nas vinícolas que visitamos, nada demais, mesmo porque, o preço não é muito mais baixo que os praticados pelos supermercados e não tínhamos espaços nas malas. Por falar em espumantes, por aqui também ficam a Salton e a Chandon. Coloque uma delas no passeio, se possível.


Às vezes víamos as pessoas comprarem caixas e mais caixas de vinho e solicitarem ao pessoal que despachassem para eles.


O passeio não muda muito, é um entra e sai de vinícola, visita guiada, degustações de vinhos, queijos. Algumas visitas são pagas, mas o dinheiro é revertido, pra você, caso compre algo nas lojinhas deles.



Como era inverno, as parreiras estavam sem folhagens, mas não posso dizer que estavam feias, mesmo “peladas” elas têm lá sua beleza.


Finalizado o passeio, hora de voltar para a casa (há mais coisas para fazer na região, mas como não tínhamos tempo, vai ficar para a próxima vez). Apesar de ser perto de Gramado, 110Km, como a estrada é de Serra, é uma viagem cansativa e longa, ainda mais com neblina. Quando chegamos a Gramado, descobrimos que a neblina ficou pela cidade o dia todo. Ufa! Ainda bem que estávamos em outro lugar.


Nosso jantar seria no restaurante que é considerado o melhor suíço do Brasil, o Belle du Valais. Só que antes do jantar, o Vi queria conhecer o Santa Brígida, um Irish Pub.


Passamos por lá, tomei uma cerveja produzida em Gramado, a Rasen e o Vi tomou um chope Guinness.


Santa Brígida
Av. das Hortênsias, 765 - Gramado, RS - Brasil
Tel.: (54) 3286.5810
De ter. à sex. das 18h à 0h.
Sábados das 16h à 0h.
Domingos das 16h às 22h.

Gostei muito do jantar no Belle du Valais, apesar de o atendimento ter deixado um pouco a desejar (acho que tinha faltado alguém no dia). Comemos pela 1ª vez o prato, La Pierrade, que nada mais é, que uma fondue grelhada, mas que era a sensação da maioria dos restaurantes. Ok, concordo, é muito mais saudável, mas ainda prefiro fondue a moda antiga.


A decoração é clássica, apesar de bem carregada no vermelho é muito bonita. Os aparelhos de jantar são uma atração à parte, maravilhosos e se encontram a venda na loja da dona do restaurante.


Belle du Valais
Onde: Av. das Hortênsias, 1432 • Reservas: (54) 3286.1744 • Gramado • RS
Jantar Diariamente • Almoço aos Sábados e Domingos



Giovana Regali Casa
Onde: Av. Borges de Medeiros, 3002 – Centro – Gramado – RS
Tel: 54 3286-4421